Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, o ócio criativo não significa que o indivíduo não faz nada. Para Henry Ford, por exemplo, “pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez, pode ser por isso que tão poucas pessoas se dedicam a ele”.

Por meio do ócio criativo, é possível experimentar a união entre a riqueza proporcionada pelo trabalho, o conhecimento gerado pelos estudos e a felicidade ocasionada pelas práticas de lazer.

Mas, como encontrar esse equilíbrio? É isso que vamos mostrar a você neste artigo. Continue lendo e confira!

Qual é o conceito do ócio criativo?

Uma ideia inovadora desenvolvida por Domenico de Masi. Segundo o sociólogo e professor, o ócio criativo é uma maneira revolucionária de definir o trabalho, na qual você deve incluir na sua rotina diária momentos para descansar, para o lazer e, ao mesmo tempo, conciliar tudo isso com a aprendizagem e o trabalho.

Essa ideia sugere que a cada duas horas trabalhadas, você faça uma pausa de 5 a 10 minutos para poder realizar todas as suas tarefas sem desgaste.

Utilizar o seu tempo ocioso para fazer mais coisas não é algo positivo, pois você se sentirá exaurido pela sobrecarga de trabalho.

Quais são suas características?

O ócio criativo tem como principal característica o auxílio no aumento da criatividade, fazendo com que você consiga trabalhar mais focado, sem estresse e preocupação. Dessa maneira, será possível alcançar as suas metas com mais facilidade, ter ideias inovadoras que ajudarão o seu negócio a crescer e destacar-se da concorrência.

Por meio dele, você conseguirá olhar com “novos olhos” tudo o que você vê o tempo todo. Grosso modo, você estará com a mente limpa, para que ideias geniais possam surgir, as quais jamais apareceriam em um ambiente louco e estressante.

O que fazer para inseri-lo na sua rotina?

Para conseguir inserir o ócio criativo na sua rotina, você precisa mudar seus hábitos. Se você tem uma rotina corrida, é preciso se reorganizar!

Organize suas tarefas e seu tempo para concluir tudo sem nenhum desgaste. Uma dica é separar atividades em:

  • crises: as tarefas mais importantes e urgentes;
  • urgências: tarefas urgentes, mas não importantes;
  • planejamento: tarefas importantes, mas não urgentes;
  • rotina: todas as atividades que não são urgentes e nem importantes.

Feito isso, você pode ordenar um tempo para as atividades que precisam ser concluídas e para o ócio criativo. Ou seja, esse será o seu momento para relaxar, desconcentrar-se e recarregar as energias.

Qual é o impacto que ele traz para a vida das pessoas?

Com ele, é possível melhorar a sua qualidade de vida e aumentar a sua produtividade profissional. Além disso, essa ideia vai gerar valor ao indivíduo, pois a sua capacidade de inovação, geração de conhecimento e criatividade aumentará, tornando-o cada vez mais motivado a executar suas tarefas com excelência.

O ócio criativo chegou para libertar as pessoas dos conceitos tradicionais. Ele mostra que é possível manter o equilíbrio entre as necessidades emocionais, pessoais e as relações de trabalho. Tente usar o seu ócio criativo para ter novas ideias ou, se necessário, para criar o seu próprio negócio. Dessa maneira, você se sentirá realizado profissionalmente e se tornará cada vez mais feliz.

Gostou do artigo? Então, compartilhe nas redes sociais para que seus amigos também possam aprender como encontrar equilíbrio na vida!