Daniel levanta, pensa, circula. Senta em frente ao computador — tela em branco, traços sem sentido. Aquela olhadinha no Facebook e, por fim, a mente encontra algum conforto: palavras e imagens que provocam risos, decepções e identificações diversas. Um aconchego muito distante da tensão provocada pelo bloqueio criativo de minutos atrás.

Às vezes, a rotina do Daniel é assim. A vontade de criar e deixar a imaginação fluir se mistura com a preocupação dos boletos e do excesso de trabalho, gerando uma angústia paralisante. As redes sociais se transformam em um drops viciante de prazer instantâneo — e o tempo passa.

Foi quando Daniel leu um post sobre a capacidade de extrair o belo e o positivo sobre as situações aparentemente catastróficas. De repente, o ambiente se iluminou e teve uma grande ideia. Quer saber como essa descoberta ajuda você a saber o que é pantone? Continue a leitura!

Como se expressar pelas cores?

Quando Daniel recorreu às redes sociais para encontrar palavras e imagens com as quais pudesse se identificar, percebeu que, no fundo, todos nós buscamos formas de expressar o que não conseguimos, aproveitando a onda de quem já conseguiu.

Esse é o verdadeiro trunfo das marcas que oferecem o benefício da autoexpressão: quando elas nos ajudam a traduzir o que pensamos, nos engajamos em seu universo. E não apenas as palavras estão em jogo: as cores também têm um valor expressivo muito forte na transmissão de ideias.

A cor é uma linguagem individual. O homem reage a ela de acordo com suas condições físicas e culturais. No livro Funções da pintura, o artista plástico francês Fernand Léger afirma que cada pessoa tem uma cor em seu consciente ou inconsciente. Essa “cor preferida” se impõe sobre tudo aquilo que o homem utiliza no seu dia a dia.

Nesse cenário, a moda certamente ganha um espaço de grande destaque. A ação de cada cor isolada é a base sobre a qual diversas emoções e valores pessoais são harmonizados.

Se a cor é uma linguagem individual e ninguém é igual a ninguém, é compreensível que a natureza nos ofereça infinitas possibilidades cromáticas. Ainda não é totalmente possível aos seres humanos traduzir essa variedade em paletas de cores infinitas, mas existe uma empresa que se esforça bastante para isso e já conseguiu mapear pelo menos nove mil delas: a Pantone.

O que é Pantone?

A escala Pantone foi criada em 1963 e tornou-se linguagem padrão para as cores em todo o mundo. Essa padronização facilitou bastante o trabalho de criação, pois as gráficas passaram a ter a referência correta de impressão para que cada tonalidade escolhida não corresse o risco de ser alterada, comprometendo a sua singularidade.

Trata-se de uma escala bem diferente da escala CMYK, com combinações cromáticas que geram tonalidades bem diferentes. As cores CMYK derivam da combinação de quatro cores básicas, enquanto a escala Pantone utiliza 15, ampliando o espectro de variações.

Por que a Pantone é mais que uma paleta de cores?

A Pantone atualiza constantemente a sua paleta de cores, lançando novas tonalidades todos os anos. Com isso, tornou-se referência para o mundo do design, ditando tendências com grande força em vários mercados: moda, tecnologia digital, objetos diversos, arquitetura e interiores, por exemplo.

Especialmente na moda, as cores Pantone são consideradas influenciadoras-chave. Desde o ano 2000, a marca lança a “cor do ano”, considerada diferencial para o ano seguinte. Em 2018, será a vez da do greenery, um tom que se aproxima do verde-folha.

Para utilizar essa escala em suas criações, é preciso comprar uma licença cujo preço varia conforme o perfil do guia de cores. Há diversas opções que você pode usar, tanto nas suas camisetas quanto em outros objetos, como canetas, canecas e acessórios diversos. A licença pode ser adquirida na loja oficial da Pantone no Brasil.

Gostou de saber o que é Pantone e quer viajar nas cores para libertar o seu espírito criativo, como o Daniel?  Inspire-se também em nosso guia com as estampas de camiseta que mais estão bombando no momento